"A Fé é um salto do escuro para os braços de Deus. Quem não salta, não vê a Deus, não é abraçado, fica apenas no escuro." (Desconhecido)

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

O Bastão Prioral

O bastão prioral (primacial - primaz) ou cantoral, deriva do bordão, o antigo bastão usado pelos peregrinos e é considerado o símbolo do tutor, do mestre; é sinal, portanto, da autoridade, legítima confiança ao chefe eleito. Do bastão deriva, em conseqüência, o cetro portado pelo rei, o bastão de marechal portado pelos condutores e o bastão pastoral portado pelos bispos.
O bastão prioral ou cantoral era de prata ou de madeira revestido de prata e terminava, geralmente, com um esfera, ou com a reprodução de uma Igreja ou de outra figura alegórica e constituía o emblema dos vigários forâneos, dos capitães canônicos e dos colegiados, dos arceprestes e dos primazes de ordem religiosas.
Vinha usado, portanto, pelo maestro do coro ou primeiros cantores; neste caso se chamava bastão cantoral e terminava com a extremidade em forma de clava. O bastão servia para dar diretrizes durante as solenes celebrações litúrgicas no curso do canto oral.
Heraldicamente, o bastão prioral ou cantoral vinha colocado atrás do escudo, num mastro, em sinal honorífico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário